Caso Clínico- Nefrite aguda e homeopatia

A nefrite tem como definição uma condição inflamatória dos rins, afetando sua função de  filtragem que é muito importante para o organismo. O rim é responsável por produzir uma substância essencial para produção de sangue e por reabsorver os metabólitos importantes para o funcionamento do metabolismo e por excretar as substâncias tóxicas, entre elas a uréia.

A nefrite aguda aparece subitamente e se manifesta por alguns principais sinais clínicos como: vômitos, pouca ou nenhuma quantidade de urina e prostração. Pode ser resultante de uma infecção de bexiga ( cistite) que ascende até o rim, infecções locais, desequilíbrios hormonais, problemas genéticos ou hereditários, etc.

Pela visão da medicina holística, entre as causas ainda existe o fator emocional. Pois observando o paciente como um todo, é inevitável  percebermos que os animais interagindo conosco, seus proprietários, possuem emoções que podem gerar um desequilíbrio energético ocasionando as manifestações clínicas.

O rim, na visão da medicina chinesa, é um órgão muito importante também, e além das funções que conhecemos pela medicina ocidental ( metabolismo das águas) , temos  funções de armazenamento de nossa energia vital (Jing) e fonte  da energia yin e yang de todos os outros órgãos. O rim, ainda pela visão oriental, é responsável pela pelagem, ossos, ouvidos, dentes, bexiga e rins.

CASO CLÍNICO

Paciente: Mel

Espécie: felina

Raça: Persa vermelho

Idade: 6 anos

Queixas principais: estava emagrecendo, sem disposição, queria apenas dormir, apresentava alguns vômitos esporádicos,  perdendo muito pêlo.

Foi realizado exames laboratoriais de sangue onde detectou-se aumento das enzimas renais uréia e creatinina, indicando que estava ocorrendo uma perda parcial da filtragem normal realizada pelos rins.

Houve relato do proprietário que os sinais começaram após uma mudança na rotina do animal devido a mudanças internas na casa.

O tratamento da Mel baseou-se apenas na medicina alternativa com uso de fitoterápicos ( chá de cabelo de milho e tintura mãe de Bardana) e homeopatia. Recebeu fitoterapia durante 10 dias. Dois medicamentos homeopáticos foram utilizados, um  durante 05 dias ( Ars CH 30) e outro ( Calendula CH6) durante 30 dias.

Após 45 dias repetimos o exame de sangue que se mostrou com valores dentro da normalidade. O estado geral do animal melhorou, voltou com seu temperamento normal, mais ativa e brincalhona, não apresentando mais nenhuma alteração clínica.

Concluímos que a homeopatia bem aplicada ao paciente, pode trazer resultados rápidos quando tratado no início da doença. Casos agudos respondem de forma mais rápida, assim como na alopatia.

Como sabemos, pela medicina holística, sintomas mentais, emocionais, físicos, estão todos interligados; podendo ser desencadeantes ou perpetuantes da doença em si.  Portanto é de grande importância que o proprietário observe e perceba seu animal em relação a fatores emocionais, pois não basta apenas tratarmos a doença visível, mas é necessário que se corrija ou amenize possíveis causas mentais também; assim tratando o indivíduo como um todo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s